30 de setembro de 2008

O que são 1,2 biliões de dólares?

Só num dia, na Wall Street, foi destruído todo o produto nacional bruto da Rússia ou da Coreia do Sul. Isto sem contar com descidas dramáticas nas outras bolsas mundiais. Pior ainda, as descidas (ou melhor, quedas) vão continuar...

Em 29 de Setembro de 2008, na sequência da falência do voto no Congresso dos EUA sobre a proposta de George W. Bush do fundo de 700 mil milhões de dólares (700 biliões, na denominação americana) para impedir a derrocada da bolsa de Nova Iorque, esta entrou em pânico.

Ao saber-se do fracasso na Câmara de Representantes, o índice industrial DOW desceu abruptamente 770 pontos, o que corresponde a 1,2 biliões de dólares (ou 1,2 triliões americanos) em perdas no valor dos títulos.

Para se perceber a escala da catástrofe, pode-se dizer que num dia foram destruídos 2% do produto mundial bruto, ou seja, todo o produto nacional bruto da Coreia do Sul ou da Rússia!

Ou ainda, quase 55 vezes o produto nacional bruto português (230.500 milhões de dólares PPP em 2007).

Fonte: List of countries by GDP (PPP) (Wikipedia em inglês). Usei a coluna relativa ao "CIA World Fact Book". Ao usar dólares correntes nas perdas de Wall Street e dólares corrigidos PPP nos produtos nacionais brutos, poderá resultar alguma imprecisão, mas não creio que seja importante.

Aqui está um gráfico em forma de "queijo" para visualizar as quantidades de que estou a falar:

PNB em dólares corrigidos
em paridade de poder de compra
(PPP)

País/Região GDP
(M$ PPP)
US$
(PPP)
Mundo   65.610.000   65,6E+12
UE 14.380.000 14,4E+12
EUA 13.840.000 13,8E+12
China 6.991.000 7,0E+12
Japão 4.290.000 4,3E+12
Índia 2.989.000 3,0E+12
Brasil 1.836.000 1,8E+12
Resto do Mundo 21.284.000 21,3E+12
Perdas
de Wall Street
29/09/08
1.200.000 1,2E+12

A coluna da direita está em
notação científica. 1,2E+12 significa
1,2 vezes 10 elevado a 12, ou seja, 1,2 biliões.

Produtos nacionais brutos do mundo
e o pânico da Wall Sreet em 29/9/08

 

27 de setembro de 2008

Esbjörn Svensson ao vivo

Esbjörn Svensson Trio interpreta "Serenade for the Renegade" live no festival Jazz à Juan Les Pins festival em França em 19 de Julho de 2003.

24 de setembro de 2008

Três híbridos em série impressionantes

Eis três veículos impressionantes que mostram o futuro das novas tecnologias automóveis. Os três são híbridos plug-in em série (gerador-bateria-motor) com motores eléctricos inseridos nas rodas, logo sem qualquer espécie de transmissão mecânica.

Plug-in quer dizer que podem ser carregados por uma tomada de corrente doméstica. O gerador é um pequeno motor de combustão interna que só é chamado a trabalhar se a viagem for muito longa ou o condutor for muito tipo fórmula um. Todas as baterias são de iões de lítio, como baterias de telemóvel gigantes. É de notar que só um deles saiu dos esforços da grande indústria (Mitsubishi).

Mini QED

De fotos_do_Blog

O Mini QED é um veículo de demonstração de alta performance criado pela PML Flightlink (empresa inglesa que também fabrica micromotores para electrónica, joysticks, etc.), pioneira da roda-motor, para chamar atenção para esta tecnologia por parte da indústria automóvel e do público. A tracção às quatro rodas é controlada por um computador com inteligência artificial.

Segmentos no YouTube:

http://www.youtube.com/watch?v=XdRS7eVVZbU

http://www.youtube.com/watch?v=pd_L7aEotGM

http://www.youtube.com/watch?v=NfpOxSqGgjY

Notícia em Autoblog.com:

http://www.autoblog.com/2006/07/21/pml-s-mini-qed-boasts-640-in-wheel-electric-horsepower/

Website da PML Flightlink

http://www.pmlflightlink.com/archive/news_mini.html

VentureOne

De fotos_do_Blog

O VentureOne é um triciclo híbrido em série com rodas-motores traseiras, sobre uma outra plataforma já de si revolucionária: o triciclo oscilante holandês Carver. A empresa Venture Vehicles, de Los Angeles, promete ter carros prontos para experiência no fim deste ano, embora pareça difícil que consiga cumprir.

Mas a promessa é e-s-p-e-c-t-a-c-u-l-a-r !

http://www.flytheroad.com/ – Para além de fotos e características do VentureOne, a página de vídeos tem uma série de avaliações do Carver, pelo Top Gear da BBC e outros. O Carver ainda tinha uma tracção tradicional, com um motor a gasolina de 600 cc turbo.

Mitsubishi Evo MIEV

De fotos_do_Blog

A Mitsubishi é a única major a dedicar-se a esta tecnologia e apostou em criar um Mitsubishi Evolution com as mesmas performances mas com rodas-motores eléctricas, e parece que conseguiu!

Mitsubishi Evo MIEV (Mitsubishi In-wheel Electric Vehicle)

Rodas-Motores

As rodas-motores (in-wheel motors) são uma tecnologia antiga que renasceu recentemente mas há já várias aplicações, inclusive autocarros de transportes colectivos a circular na Suécia. A Bridgestone estuda como configurar os motores dentro das rodas para serem mais leves e servirem de amortecedores (os problemas desta tecnologia são aumentar o peso e inércia das rodas, bem como não isolar os motores da vibração da estrada). Como é óbvio, o motor eléctrico tem de estar numa caixa estanque e os seus contactos têm que ser protegidos da água...

Os factores positivos são decisivos: os motores nas rodas tornam obsoletos todos os mecanismos de transmissão e um pesado motor central de combustão interna ou eléctrico, minorando o peso do veículo, reduzindo drasticamente o atrito mecânico e aumentando o espaço disponível para os passageiros; permitem recuperar a maior parte da energia cinética durante as travagens com os próprios motores a servirem de geradores e ao mesmo tempo fornecendo travagem eléctrica eficiente; permitem o controlo electrónico de toda a tracção/travagem, simplesmente com o uso de software e prescindindo de mecanismos electromecânicos complexos e caros (ABS, Traction Control, etc.).

Fora do sector automóvel, muitos combóios modernos usam rodas-motores, bem como muitas máquinas industriais e accionadores comandados por computador.

História

Ferdinand Porsche (ele mesmo) criou este híbrido em série em 1900 e bateu o recorde de velocidade com 37 km/h!

As vantagens dos motores nas rodas atraíram alguns inventores que registaram patentes ainda no séc. XIX. Por volta de 1900, Ferdinand Porsche arranjou o primeiro emprego na firma Lohner, na Boémia do Norte, hoje República Checa e criou o seu primeiro carro. Como pode ver na foto, era um híbrido em série, com motores nas rodas da frente. O carro foi um sucesso, a Mercedes foi buscar o jovem prometedor e o resto, como se costuma dizer, é História!

Porsche abandonou os carros eléctricos porque a gasolina na altura era muito barata e os motores eléctricos muito caros. As baterias eram os pesadelos que se sabe. Mas só um génio consegue que um design seu acabe por obter sucesso mais de 100 anos depois!

Este carro de Porsche e algumas patentes do século XIX foram estudados pelos engenheiros da NASA quando nos anos 70 criaram o Lunar Rover, também com rodas-motores, para andar na Lua nas missões Apolo.