27 de fevereiro de 2010

Mais sangue na água

Recebo uma newsletter diária sobre assuntos económicos europeus, Eurointelligence Daily Briefing. Como já disse na mensagem anterior sobre este assunto, as coisas não parecem boas para o nosso país:

 

Paolo Manasse sobre se a crise poderia ter repercussões na Itália

A Itália não tem sido o centro das atenções da crise recente, mas Paolo Manasse, escrevendo em Lavoce, teme que, enquanto a Grécia e Portugal estão na primeira linha de fogo da crise, Espanha e Itália podem estar no segundo, uma vez que os problemas continuam por resolver. Ele argumenta que o governo italiano deve tomar medidas de adaptação para proteger o país. (Eurointelligence Daily Briefing, 24.2.2010)

 

Será Portugal o próximo?

O Financial Times relata que Portugal vai emitir até € 20 mil milhões em títulos do governo este ano, depois de € 16 mil milhões em 2009. O governo socialista estava em processo de finalização de um plano de estabilidade para mostrar uma redução do défice de 9,3% para 8,3% este ano. Espera-se que a dívida pública bata os 85,4% do PIB este ano. (Eurointelligence Daily Briefing, 26.2.2010)

 

Mostrar todos os artigos da série sangue na água.

O arco do PPD

Qual é o centro de Portugal? Não o geométrico, mas o imaginário, o político? Para mim, talvez para toda a gente, é o Arco da Rua Augusta. A porta de Lisboa, o centro do poder.

Arco da Rua Augusta

Exactamente nesse sítio, no lugar mais à vista de todo o País, está escondida uma inscrição. Escondida pela sua enorme notoriedade. A maioria dos portugueses já passou por ali, muitos milhares passam todos os dias.

Olham e não vêem, lêem e não compreendem.

Eu sou um deles.

13 de fevereiro de 2010

Sangue na água

Sangue na água Portugal está prestes a ser atacado.

Submarinos, fragatas, caças supersónicos ou brigadas blindadas não servirão de nada. Os cidadãos escusam de pensar em armar-se: não há nada que possam fazer.

Massivas forças especulativas, com verbas já mobilizadas no valor de milhares de milhões de euros, preparam-se para destruir a pouca prosperidade que ainda temos.

10 de fevereiro de 2010

Nda

Playing for change (Tocando para a Mudança) é um movimento, um documentário, uma ONG. Junta músicos de todo o Mundo a tocar a mesma canção em conjunto, em cumplicidade alegre com uma mensagem de paz e concórdia. Muitos são músicos de rua, outros estrelas.

Devia começar por mostrar esses vídeos mundiais, mas esta canção no site cativou-me. Nda, foi o que a mãe de Jason Tambo lhe disse ao despedir-se. Não sei o que quer dizer. Adeus, porta-te bem, não te esqueças de mim…

Seja como for, é uma canção muito doce e carinhosa. Ponham lá o que as vossas mães vos disseram na despedida, para uma ausência longa, curta ou definitiva, e vão ver que a canção vos toca num ponto muito especial.

8 de fevereiro de 2010

Dois Bares

Gosto, de vez em quando, de sair à noite. Nunca gostei de discotecas. Demasiado barulho e eu não sei dançar. Prefiro os bares ou pubs. Bom ambiente, música boa que não torne impossível conversar, umas bejecas e amigos por companhia. Perfeito.

2 de fevereiro de 2010

Um mundo sem deuses

Sigo o site de Richard Dawkins no Twitter e outro dia recebi um pio (tweet) para uma página no Facebook que pretende juntar até Junho um milhão de pessoas que acreditam na evolução das espécies. Parece ter sido começada este mês e já tem mais de 116.000 aderentes. É uma resposta a outra página que pretendia arranjar, também até Junho, um milhão aderentes incrédulos da dita cuja evolução. Esses têm neste momento apenas cerca de 26.500, embora, obviamente, tenham começado primeiro (e têm um erro de ortografia no título).